terça-feira, janeiro 10, 2006

A Arte Barroca

A arte barroca teve origem na Itália, no séc. XVII, e não tardou a irradiar-se por outros países da Europa. Surgiram alguns conflitos espirituais e religiosos. O homem colocou-se perante um constante dualismo: Paganismo/Cristianismo e Matéria/Espírito.
O nome barroco foi definido para esse tipo de manifestação artística no fim do século XVIII – após o renascimento do clássico, e definia um tipo de abuso.
A origem do nome pode ser associada ao espanhol Barrueco, ou até mesmo ao português Barroco, designativo de pérolas de forma irregular, nome usado por joalheiros. Mas, o mais provável é que tenha surgido como um sinónimo de argumento escolástico que definia o absurdo e o grotesco. Assim, o Barroco pode ser entendido como a manifestação artística que desafiou as regras do Renascimento e assim foi definida por inúmeros críticos. No início do século XX alguns estudiosos da arte passaram a dar importância a esse movimento, concedendo aos artistas barrocos o seu verdadeiro valor. De fato, o Barroco deu uma inestimável contribuição à arte europeia e não foi simplesmente um retrato da decadência do Renascimento.
A manifestação barroca é encontrada, com maior intensidade, em cidades de influência da igreja Católica Apostólica Romana e, aparentemente, foi uma forma de arte nascida da necessidade de dar vida à Contra-Reforma e tentar diminuir a influência do Protestantismo na fé cristã. Dessa forma, a igreja Romana precisava da um tipo de pintura e de escultura que pudesse transmitir emoções, contrapondo-se ao frio e científico estilo clássico. Por isso, as obras barrocas romperam o equilíbrio entre o sentimento e a razão ou entre a arte e a ciência. Na arte barroca predominam as emoções e não o racionalismo da arte renascentista. Os artistas e arquitetos barrocos foram capazes de retratar, criando efeitos visuais, o sobrenatural de uma forma incrivelmente realista.


CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DA ARTE BARROCA
No fundo, o estilo Barroco não era uma coisa absolutamente nova,mas algo que revolucionou a arte. Formalmente o Barroco foi influenciado pelo Maneirismo, pela Arte Gótica e pela Arte Antiga (grega e romana). O que havia de novo era a forma de construção do trabalho, as curvas, contracurvas e colunas retorcidas; tudo tinha um sentido de profundidade, luz e sombra. Assim as emoções foram grandemente enfatizadas, tanto na pintura como na escultura. Em trabalhos como túmulos ou interiores de igrejas, normalmente o Barroco e o Clássico conviveram de uma forma harmónica e equilibrada.


Essas características, em síntese são apontadas como:

- violentos contrastes de luz e sombra;
- emocional sobre o racional;
- busca de efeitos decorativos e visuais muito contornados;
- pintura com efeitos ilusionistas, dando-nos uma visão e aparência de profundidade conseguida.


DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO
O desenvolvimento do estilo Barroco começou na Itália, por volta do ano 1600, quando um grupo de pintores dos quais os mais importantes foram Michelangelo, Caravaggio e Carracci, decidiram fazer renascer a antiga Arte Romana, forçando a decadência do Maneirismo.
No entanto, foi o pintor Rubens (Espanhol), que estudou na Itália entre 1600 e 1608, que criou o estilo Barroco, aplicando nas suas pinturas muita vitalidade, cor e muito realismo.
Na Itália, o Barroco desenvolveu-se com maior agressividade, já que Roma (a Igreja), era a principal responsável pela construção de templos, monumentos e praças, que precisavam ser decoradas de acordo com a tendência religiosa daquela época.
Surgiram: o escultor e arquiteto Bernini, o arquiteto Borromini, o pintor Cortona (o mestre do ilusionismo barroco, com sua obra-mestra Triunfo da Divina Providência, 1633-1639, Palazzo Barnerini, Roma).


O BARROCO FORA DA ITÁLIA
O Barroco foi um fenómeno de manifestação artística, espalhou-se por todas as regiões europeias, assim como para as Américas, principalmente por portugueses e espanhóis. Cada região foi adaptando o seu estilo e técnica, interpretando-as dentro da sua óptica regional.
Na Alemanha, Neumann foi a seguidora mais ortodoxa do Barroco.

Na França, foi recebido com reserva e nunca pode manifestar-se de uma forma livre; assumiu uma forma mais clássica, mas não menos bela, e foi responsável pela construção de alguns palácios e igrejas. A mais famosa é o Palácio de Versailles (1669-1703).
Na Holanda protestante, o Barroco ficou, a princípio, confinado à escultura. No entanto, Rembrandt rompeu com essa restrição tornando-se o mais famoso pintor Barroco: A Vigília, 1642 - Rijksmuseum, Amsterdam.
Na Inglaterra protestante o Barroco foi utilizado para projetos de grandes prédios públicos. A obra mais famosa é a Catedral de São Paulo (1675-1708), projetada por Sir Christopher Wren.
Em Portugal e na Espanha o Barroco foi interpretado de uma maneira mais piedosa e populista, influência essa levada para as Américas pelos colonizadores portugueses. Exemplos dessa faceta barroca são a pintura da Imaculada Conceição de Murillo (1.660, Museu do Prado, Madri) e a fachada da Catedral de Santiago de Compostela (terminada em 1750).

Arte Sacra

Arte Sacra bizantina, oriunda da Antiguidade helenística e romana, foi essencialmente religiosa. O espaço arquitectural era aproveitado em função do jogo de luz e sombra e, reluzindo de ouro, o mosaico destacava a arquitectura.

A Arte Sagrada dos Ícones.

Desde o aparecimento dos ícones na história da Igreja, estes não eram considerados como uma mera obra artística. Os primeiros, retratavam com cores e pinturas o Evangelho.
Contudo, os ícones e, em geral a cultura bizantina, foi uma mistura de cultura, arte, historia e fé... que se faz viva no coração dos habitantes do Império.
Desde os Imperadores até à pessoa mais humilde, todos viviam a experiência dos ícones como expressão da fé de um povo que experimentava diariamente a intervenção de Deus, da Theotokos e dos Santos na sua vida quotodiana, tal como viviam as primeiras comunidades cristãs de Jerusalém. Toda a cultura bizantina: arquitectura, escultura, pintura, bordados e manuscritos, entre outros, está iluminada por essa fé que impregna cada uma das atividades e da vida dos habitantes do Império.

terça-feira, janeiro 03, 2006

FORMAÇÃO

Dou formação em Arte Sacra, Conventual, Floral e Decorativa em Instituições Particulares ou Públicas, em horário flexível.
Inclui a aplicação de várias técnicas de execução:

  • em pinturas decorativas;
  • na feitura de massas para vários fins artesanais;
  • tapeçaria;
  • pirogravura;
  • vitral;
  • outras aplicadas nos trabalhos executados.